Categorias

O que é endomarketing?

Segunda, 08 de Abril de 2019

Por que se diz elefante branco?

Segunda, 01 de Abril de 2019
Elefante branco quer dizer uma coisa grandiosa, porém inútil, desnecessária e dispendiosa, por isso normalmente é usada para obras públicas que são feitas para promover políticos, nas quais se

O que é excelência?

Segunda, 25 de Março de 2019
Numa manhã de segunda-feira, eu tinha acabado de completar 18 anos e saía para a minha primeira aula de direção. Tentei não passar em nenhuma rua conhecida, porque meus amigos já sabiam dirigir

Por que se diz dois pesos e duas medidas?

Segunda, 18 de Março de 2019
A expressão dois pesos, duas medidas é o mesmo que dar um tratamento diferenciado entre pessoas ou acontecimentos, quando a situação, na verdade, exigia o mesmo tratamento. A expressão teve a sua

O que é caixa de Pandora?

Segunda, 11 de Março de 2019
Abrir a caixa de Pandora equivale a contar um grande segredo, deixar escapar muitas coisas que não deveriam ser descobertas, porque causariam medo ou apreensão se fossem reveladas. O termo também p

O que é coaching?

Segunda, 04 de Março de 2019
Um dos termos que mais têm sido usados nos últimos dez anos no Brasil tem sido coaching. Muita gente fica intrigada ao ouvi-lo, pois tem se dito que muita coisa pode ser resolvida na vida e na carre

O que é um bode expiatório?

Segunda, 25 de Fevereiro de 2019
Ser um bode expiatório, quer dizer simplesmente ser uma pessoa escolhida para pagar por um crime ou um ato falho que não cometeu ou por uma ação que não praticou. Bode expiatório é a forma de d

O que é eufemismo corporativo?

Segunda, 18 de Fevereiro de 2019
Eufemismo é uma figura de linguagem que consiste em tornar mais leve e palatável o sentido de uma expressão ou de uma palavra. Dizer que um aluno não se saiu muito bem num exame ou um funcionário

O que é economês e outras idiotices?

Segunda, 11 de Fevereiro de 2019
Lendo o psicólogo americano Jon Warshawsky, responsável pela área de pesquisas da Deloitte, uma das principais empresas de auditoria e consultoria do mundo e coautor do livro Por Que as Pessoas de

Parte 2 - Por que geração mimimi?

Segunda, 04 de Fevereiro de 2019
O Brasil precisa urgentemente, como política nacional de defesa de um futuro possível, proibir que se diga aos mimizentos na escola e no trabalho, que a vida é fácil, que é sopa, que dinheiro se

Parte 1 - Por que geração mimimi?

Segunda, 28 de Janeiro de 2019
Mimimi é uma figura de linguagem que reproduz o som que uma pessoa faz ao reclamar de alguma coisa. O termo se popularizou com as redes sociais, porque nelas muita gente reclama de muita coisa. Norma

Parte 2 - O que são vidas pública e privada?

Segunda, 21 de Janeiro de 2019
Está mais do que na hora de as escolas públicas e particulares, de todos os níveis, criarem um espaço em seus currículos para a discussão fundamental sobre o que é de interesse de todos e do qu

Parte 1 - O que são vidas pública e privada?

Segunda, 14 de Janeiro de 2019
É um tormento. Sim, é um tormento. Não sei se foi sempre assim ou apenas de uns tempos para cá. O certo é que venho sendo assombrado pela ideia obsessiva de distinguir a vida pública da privada,

Qual a relação entre educação e mercado de trabalho?

Segunda, 07 de Janeiro de 2019
Essa pergunta chega a parecer estúpida. Se eu a fizesse em público, tenho certeza de que muita gente iria rir de mim. No entanto, se eu apontasse o dedo para as pessoas que riem e perguntasse a elas

O poeta, a pedagogia e as nuvens

Terça, 16 de Outubro de 2018
"No poema/ e nas nuvens,/ cada qual descobre/o que deseja ver." - Helena KolodyO propósito deste artigo é apresentar a professores, alunos, pais e todos os interessados no assunto educação, n

Professor ou o homem que ferrava almas

Terça, 16 de Outubro de 2018
Quando eu era pequeno, no sítio de meus tios, onde passava minhas férias de julho, lembro-me de haver perguntado por que é que se marcavam a ferro os bois e cavalos? Parecia-me uma maldade, mas meu

Parte 2 - O que são vidas pública e privada?

Está mais do que na hora de as escolas públicas e particulares, de todos os níveis, criarem um espaço em seus currículos para a discussão fundamental sobre o que é de interesse de todos e do que apenas a poucos diz respeito. É preciso que todos sejam envolvidos, no que me parece, com a questão mais fundamental desse início de século XXI. As pessoas precisam ser ensinadas de novo que não podem submeter o grupo a que pertencem a seus caprichos pessoais. A vida em sociedade está ficando cada vez mais insuportável, justamente porque ninguém quer mais respeitar as fronteiras entre os interesses.


Adolescentes e crianças passaram a dominar seus pais; alunos ditam as leis para professores e diretores e acabam por reger suas escolas; empregados querem determinar os rumos de suas empresas; delinquentes estabelecem as regras em determinadas comunidades ou nos presídios e assim por diante. Muitos dos valores sociais foram invertidos e os rabos começaram a abanar os cachorros. Onde todo mundo pensa que manda, obviamente ninguém manda e menos ainda obedecem.


Até entre os animais mais selvagens há regras de convivência, há quem mande e quem obedeça e isso é feito para a preservação da espécie e todos acabam por aceitar os ditames ou devem deixar aquela comunidade. Ocorre que animais irracionais não podem ser convencidos (ou melhor, persuadidos) a aceitar as regras de forma lógica, a submeter-se a elas porque elas são necessárias à organização mínima desejável para o progresso e permanência do grupo em que estão. Eles aceitam e ponto.


Montesquieu no seu maravilhoso O Espírito das Leis, no capítulo quinto, já apontava para o grande equívoco que havia se transformado a tão almejada igualdade extrema. Ela não existe na essência. Condições iguais não quer dizer pessoas e

potencialidades iguais. Um grupo, para sobreviver como sociedade, precisa que regras sejam criadas, princípios respeitados e valores fortalecidos, para que alguns entendam em que momento seus anseios pessoais devem se vergar aos do grupo e em que momento o grupo precisa frear sua vontade geral de invadir a vida particular.


Se todos nascêssemos dotados de bom senso, isso seria totalmente dispensável, mas sabemos que esse é artigo escasso, então o que não é nato, mas necessário, deve ser ensinado. A escola é esse lugar, até para que ela própria possa perdurar, já que pela desordem e pelo descaso com os valores eternos (respeito, dignidade, ética, amor, humildade, etc.) ela está em rota suicida, rota de colisão com um buraco negro sem precedentes na História. O pior é que esse pequeno vácuo criado nas escolas e nas famílias sem regras, princípios e valores está se espalhando pelo mundo profissional, por isso as pessoas sabem na ponta da língua seus direitos, mas não conhecem seus deveres. Por isso, tantas pessoas vêm sendo substituídas por máquinas.