Categorias

O que é endomarketing?

Segunda, 08 de Abril de 2019

Por que se diz elefante branco?

Segunda, 01 de Abril de 2019
Elefante branco quer dizer uma coisa grandiosa, porém inútil, desnecessária e dispendiosa, por isso normalmente é usada para obras públicas que são feitas para promover políticos, nas quais se

O que é excelência?

Segunda, 25 de Março de 2019
Numa manhã de segunda-feira, eu tinha acabado de completar 18 anos e saía para a minha primeira aula de direção. Tentei não passar em nenhuma rua conhecida, porque meus amigos já sabiam dirigir

Por que se diz dois pesos e duas medidas?

Segunda, 18 de Março de 2019
A expressão dois pesos, duas medidas é o mesmo que dar um tratamento diferenciado entre pessoas ou acontecimentos, quando a situação, na verdade, exigia o mesmo tratamento. A expressão teve a sua

O que é caixa de Pandora?

Segunda, 11 de Março de 2019
Abrir a caixa de Pandora equivale a contar um grande segredo, deixar escapar muitas coisas que não deveriam ser descobertas, porque causariam medo ou apreensão se fossem reveladas. O termo também p

O que é coaching?

Segunda, 04 de Março de 2019
Um dos termos que mais têm sido usados nos últimos dez anos no Brasil tem sido coaching. Muita gente fica intrigada ao ouvi-lo, pois tem se dito que muita coisa pode ser resolvida na vida e na carre

O que é um bode expiatório?

Segunda, 25 de Fevereiro de 2019
Ser um bode expiatório, quer dizer simplesmente ser uma pessoa escolhida para pagar por um crime ou um ato falho que não cometeu ou por uma ação que não praticou. Bode expiatório é a forma de d

O que é eufemismo corporativo?

Segunda, 18 de Fevereiro de 2019
Eufemismo é uma figura de linguagem que consiste em tornar mais leve e palatável o sentido de uma expressão ou de uma palavra. Dizer que um aluno não se saiu muito bem num exame ou um funcionário

O que é economês e outras idiotices?

Segunda, 11 de Fevereiro de 2019
Lendo o psicólogo americano Jon Warshawsky, responsável pela área de pesquisas da Deloitte, uma das principais empresas de auditoria e consultoria do mundo e coautor do livro Por Que as Pessoas de

Parte 2 - Por que geração mimimi?

Segunda, 04 de Fevereiro de 2019
O Brasil precisa urgentemente, como política nacional de defesa de um futuro possível, proibir que se diga aos mimizentos na escola e no trabalho, que a vida é fácil, que é sopa, que dinheiro se

Parte 1 - Por que geração mimimi?

Segunda, 28 de Janeiro de 2019
Mimimi é uma figura de linguagem que reproduz o som que uma pessoa faz ao reclamar de alguma coisa. O termo se popularizou com as redes sociais, porque nelas muita gente reclama de muita coisa. Norma

Parte 2 - O que são vidas pública e privada?

Segunda, 21 de Janeiro de 2019
Está mais do que na hora de as escolas públicas e particulares, de todos os níveis, criarem um espaço em seus currículos para a discussão fundamental sobre o que é de interesse de todos e do qu

Parte 1 - O que são vidas pública e privada?

Segunda, 14 de Janeiro de 2019
É um tormento. Sim, é um tormento. Não sei se foi sempre assim ou apenas de uns tempos para cá. O certo é que venho sendo assombrado pela ideia obsessiva de distinguir a vida pública da privada,

Qual a relação entre educação e mercado de trabalho?

Segunda, 07 de Janeiro de 2019
Essa pergunta chega a parecer estúpida. Se eu a fizesse em público, tenho certeza de que muita gente iria rir de mim. No entanto, se eu apontasse o dedo para as pessoas que riem e perguntasse a elas

O poeta, a pedagogia e as nuvens

Terça, 16 de Outubro de 2018
"No poema/ e nas nuvens,/ cada qual descobre/o que deseja ver." - Helena KolodyO propósito deste artigo é apresentar a professores, alunos, pais e todos os interessados no assunto educação, n

Professor ou o homem que ferrava almas

Terça, 16 de Outubro de 2018
Quando eu era pequeno, no sítio de meus tios, onde passava minhas férias de julho, lembro-me de haver perguntado por que é que se marcavam a ferro os bois e cavalos? Parecia-me uma maldade, mas meu

O que é um bode expiatório?

Ser um bode expiatório, quer dizer simplesmente ser uma pessoa escolhida para pagar por um crime ou um ato falho que não cometeu ou por uma ação que não praticou. Bode expiatório é a forma de dizer que alguém vai pagar o pato no lugar de

outro. A política e a polícia gostam de chama-los de laranjas. É um termo antigo, que existe desde a escrita e divulgação do Velho Testamento.


A expressão teve a sua origem no Dia da Expiação entre os israelitas, que era um dia altamente significativo (expiar é a mesma coisa que se livrar das próprias culpas). Era o dia santo mais importante do ano judaico. A Bíblia, em Levítico, descreve como decorria a cerimônia do dia:


“Da congregação dos filhos de Israel tomará dois bodes, para oferta pelo pecado, e um carneiro, para holocausto. Arão trará o novilho da sua oferta pelo pecado e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará ambos os bodes e os porá perante o Senhor, à porta da tenda da congregação. Lançará sortes sobre os dois bodes: uma, para o Senhor, e a outra, para o bode emissário. Arão fará chegar o bode, sobre o qual cair a sorte para o Senhor, e o oferecerá por oferta pelo pecado. Mas o bode sobre o qual cair a sorte para bode emissário, será apresentado vivo perante o Senhor, para fazer expiação por meio dele e enviá-lo ao deserto como bode emissário” (16,5-10).


E segue na descrição: “Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele”

(16,15). “Havendo, pois, acabado de fazer expiação pelo santuário, pela tenda da congregação e pelo altar, então, fará chegar o bode vivo. Arão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniquidades dos filhos de

Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode e enviá-lo-á ao deserto, pela mão dum homem à disposição para isso. Assim, aquele bode levará sobre si todas as iniquidades deles para terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto” (16,20-22).


Entenderam que o animal pagará pelos pecados das pessoas? Um animal laranja? Essa é a metáfora da expressão, apenas adaptada a outras situações da vida. Como se viu, o sumo sacerdote tomava dois bodes e, sobre eles, lançava sortes (tudo

que havia de errado com seu povo): um tornava-se o bode expiatório e o outro o bode emissário. Sacrificava o primeiro bode, levava seu sangue, entrava no lugar santíssimo, para além do véu, e aspergia aquele sangue sobre o propiciatório, o qual cobria a arca contendo as duas tábuas de pedra e assim se fazia expiação pelos pecados da nação inteira (Lv 16,15-16).


Como etapa final, o sacerdote tomava o bode vivo, impunha as mãos sobre sua cabeça, confessava sobre ele todos os pecados dos israelitas e o enviava ao deserto, simbolizando com isto que os pecados deles eram levados para fora do arraial (Lv 16,21-22). Esse é o jeito mais fácil de caminhar para o buraco negro, não aprender a assumir as próprias culpas. Nós, brasileiros, aprendemos bem essa lição de apontar o dedo para os outros.