Categorias

O que é endomarketing?

Segunda, 08 de Abril de 2019

Por que se diz elefante branco?

Segunda, 01 de Abril de 2019
Elefante branco quer dizer uma coisa grandiosa, porém inútil, desnecessária e dispendiosa, por isso normalmente é usada para obras públicas que são feitas para promover políticos, nas quais se

O que é excelência?

Segunda, 25 de Março de 2019
Numa manhã de segunda-feira, eu tinha acabado de completar 18 anos e saía para a minha primeira aula de direção. Tentei não passar em nenhuma rua conhecida, porque meus amigos já sabiam dirigir

Por que se diz dois pesos e duas medidas?

Segunda, 18 de Março de 2019
A expressão dois pesos, duas medidas é o mesmo que dar um tratamento diferenciado entre pessoas ou acontecimentos, quando a situação, na verdade, exigia o mesmo tratamento. A expressão teve a sua

O que é caixa de Pandora?

Segunda, 11 de Março de 2019
Abrir a caixa de Pandora equivale a contar um grande segredo, deixar escapar muitas coisas que não deveriam ser descobertas, porque causariam medo ou apreensão se fossem reveladas. O termo também p

O que é coaching?

Segunda, 04 de Março de 2019
Um dos termos que mais têm sido usados nos últimos dez anos no Brasil tem sido coaching. Muita gente fica intrigada ao ouvi-lo, pois tem se dito que muita coisa pode ser resolvida na vida e na carre

O que é um bode expiatório?

Segunda, 25 de Fevereiro de 2019
Ser um bode expiatório, quer dizer simplesmente ser uma pessoa escolhida para pagar por um crime ou um ato falho que não cometeu ou por uma ação que não praticou. Bode expiatório é a forma de d

O que é eufemismo corporativo?

Segunda, 18 de Fevereiro de 2019
Eufemismo é uma figura de linguagem que consiste em tornar mais leve e palatável o sentido de uma expressão ou de uma palavra. Dizer que um aluno não se saiu muito bem num exame ou um funcionário

O que é economês e outras idiotices?

Segunda, 11 de Fevereiro de 2019
Lendo o psicólogo americano Jon Warshawsky, responsável pela área de pesquisas da Deloitte, uma das principais empresas de auditoria e consultoria do mundo e coautor do livro Por Que as Pessoas de

Parte 2 - Por que geração mimimi?

Segunda, 04 de Fevereiro de 2019
O Brasil precisa urgentemente, como política nacional de defesa de um futuro possível, proibir que se diga aos mimizentos na escola e no trabalho, que a vida é fácil, que é sopa, que dinheiro se

Parte 1 - Por que geração mimimi?

Segunda, 28 de Janeiro de 2019
Mimimi é uma figura de linguagem que reproduz o som que uma pessoa faz ao reclamar de alguma coisa. O termo se popularizou com as redes sociais, porque nelas muita gente reclama de muita coisa. Norma

Parte 2 - O que são vidas pública e privada?

Segunda, 21 de Janeiro de 2019
Está mais do que na hora de as escolas públicas e particulares, de todos os níveis, criarem um espaço em seus currículos para a discussão fundamental sobre o que é de interesse de todos e do qu

Parte 1 - O que são vidas pública e privada?

Segunda, 14 de Janeiro de 2019
É um tormento. Sim, é um tormento. Não sei se foi sempre assim ou apenas de uns tempos para cá. O certo é que venho sendo assombrado pela ideia obsessiva de distinguir a vida pública da privada,

Qual a relação entre educação e mercado de trabalho?

Segunda, 07 de Janeiro de 2019
Essa pergunta chega a parecer estúpida. Se eu a fizesse em público, tenho certeza de que muita gente iria rir de mim. No entanto, se eu apontasse o dedo para as pessoas que riem e perguntasse a elas

O poeta, a pedagogia e as nuvens

Terça, 16 de Outubro de 2018
"No poema/ e nas nuvens,/ cada qual descobre/o que deseja ver." - Helena KolodyO propósito deste artigo é apresentar a professores, alunos, pais e todos os interessados no assunto educação, n

Professor ou o homem que ferrava almas

Terça, 16 de Outubro de 2018
Quando eu era pequeno, no sítio de meus tios, onde passava minhas férias de julho, lembro-me de haver perguntado por que é que se marcavam a ferro os bois e cavalos? Parecia-me uma maldade, mas meu

O que é coaching?

Um dos termos que mais têm sido usados nos últimos dez anos no Brasil tem sido coaching. Muita gente fica intrigada ao ouvi-lo, pois tem se dito que muita coisa pode ser resolvida na vida e na carreira das pessoas pelo intermédio de sessões de

coaching. Mas o que é isso? É só mais um estrangeirismo a poluir nosso idioma? Será só mais um modismo desses que assolam as livrarias nas seções de autoajuda? Mias um assunto para livros de aeroporto? Ou será que é uma ferramenta de trabalho que realmente pode ser útil e promover mudança e crescimento?


Antes de qualquer coisa, é preciso saber que coaching não é um fim em si mesmo como muitos dizem e fazem por aí, é sim um processo com começo, meio e fim. Um processo que tem por objetivo aumentar as performances dos indivíduos ou de um grupo, seja nos aspectos pessoais ou profissionais, aumentando seus resultados positivos por intermédio do uso de ferramentas e técnicas adequadas, caso a caso, por um profissional habilitado, denominado coach, que usa sua experiência para ajudar seu coachee a atingir as metas desejadas.


Fazer coaching, portanto, consiste em procurar um mentor para ajudar-nos a desenvolver ou descobrir as melhores características que temos, construir uma estratégia de crescimento pessoal e profissional e levá-la a cabo. Um coach (treinador em inglês, o termo foi emprestado do mundo dos esportes) é um desenvolvedor de potencialidades, é o profissional capaz de nos revelar a nós mesmos. A ideia não é dar respostas, mas fazer perguntas, para que, por meio delas, cada um possa fazer aflorar o que já possui dentro de si e não tem consciência ainda.


Todo processo começa pelo nosso desejo de mudar, de deixar a nossa zona de conforto e partir em direção à zona de aprendizagem, o que se dá, normalmente, em quatro estágios: a) o da curiosidade, também chamado de incompetência inconsciente (fase em que não sabemos das coisas e nem sabemos que não sabemos, ou seja, temos ignorância da nossa própria ignorância); b) o da confusão, às vezes denominado de incompetência consciente (período em que continuamos não sabendo o que devemos, mas passamos a ter consciência disso, esse é o momento em que não saber começa a nos incomodar); c) o do entendimento, conhecido como competência consciente (período em que já aprendemos muita coisa, porém precisamos pensar no que sabemos, não é conhecimento natural, ele só se manifesta se for provocado); d) por fim, o de excelência, chamado de competência inconsciente (fase em que temos o domínio de uma ou mais áreas de forma tão profunda e complexa que não precisamos pensar para colocar o que sabemos em prática).


Toda essa experiência de aprendizagem serve justamente para buscar a excelência de cada um, fazer com que cada um de nós possa, de modo inconsciente, isto é, espontâneo dar sempre o melhor de si na área em que se propôs a fazer isso. O

resultado disso são pessoas mais seguras, capazes, confiantes e propensas a alcançar sucesso e remuneração adequados. Estar bem consigo mesmo e consciente de nossas aptidões faz com que encontremos mais facilmente o nosso lugar ao sol, faz com que sejamos reconhecidos por darmos sempre o melhor de nós em qualquer situação em que nos encontremos.


Depois da realização de processos de coaching bem-sucedidos as pessoas poderão tornar-se coachs de si próprias, ou líderes-coachs e essa é a tendência natural dos mercados corporativos. Esse comportamento está bastante arraigado no jeito de ser do mercado profissional norteamericano, de onde provém o nosso modelo, o que nos faz crer que esse é seguramente o nosso futuro.